Notícias

Brinquedo é coisa séria!

Publicado dia 04/10/2019 às 09h53min
Na hora de comprar o brinquedo para o Dia das Crianças, atente-se à faixa etária determinada na embalagem para evitar riscos à saúde dos pequenos

Para que o momento de alegria não termine prejudicando a saúde dos pequenos, tome muito cuidado na hora de comprar o brinquedo para o Dia das Crianças.

Como não se brinca com a saúde das crianças, opte por itens que estampam o selo do Instituto Nacional de Metrologia (Inmetro) e a certificação da Associação Brasileira dos Fabricantes de Brinquedos (Abrinq).

Portanto, descarte completamente a ideia de comprar brinquedos em camelôs ou outros tipos de comércio de rua. Eles podem ter sido confeccionados com material tóxico, um risco à saúde das crianças. Sem contar que, caso quebrem ou não funcionem, não terá a possibilidade de fazer uso da garantia, que não existe neste tipo de comércio.  Ou seja, o que foi barato pode acabar ficando muito caro ao ter de pagar para consertar ou comprar outro brinquedo para substituir o danificado.

Ao escolher produtos originais e com a procedência garantida, caso haja algum problema, ficará mais fácil falar com a empresa ou até mesmo entrar com ação judicial se ele causar algum problema à criança.

O Inmetro dá outras dicas na hora da escolha do brinquedo para o Dia das Crianças, como só comprar item indicado para a idade da criança.

Os fabricantes de brinquedos são obrigados, conforme o Inmetro, a informar para qual faixa etária se destina o produto. Essa informação deve estar em português e em destaque na embalagem, assim como o CNPJ e o contato da empresa. Os importados devem seguir a mesma regra.

É recomendado evitar brinquedos pequenos, com peças soltas, pontiagudas e cortantes para menores de três anos, porque tem maior risco de acidentes por ingestão.

Atenção especial a brinquedos que possam levar a sufocamento, como cordas, balões ou peças muito pequenas. Evite itens com ruídos excessivos, pois podem causar danos à audição. E não escolha aqueles com formas e cheiros que imitem alimentos: as crianças menores tendem a engoli-los.

Em hipótese alguma, compre brinquedos compostos por substâncias tóxicas ou inflamáveis ou aqueles que podem ocasionar choque elétrico. E, saiba, que brinquedos têm, sim, prazo de validade.

Educação financeira

Para aqueles pequenos que não são mais tão pequenos, além do presente para a sua faixa etária, os pais podem começar a introduzir conceitos de Educação Financeira. 

Geralmente, a palavra educação é associada ao ambiente escolar e acadêmico, mas é muito mais abrangente e se aplica também no âmbito social e familiar e à criança. A Educação Financeira propriamente, introduz conceitos financeiros e orienta as pessoas a aprimorar sua relação com o dinheiro, ajudando-as a usá-lo de forma mais responsável e consciente no curto, médio e longo prazos.

Fonte: MKT ACIAI